Páginas

terça-feira, 31 de julho de 2012



"Há dias pra amar, pra chorar, pra trabalhar, pra preguiçar.
Há dias pra dormir, sem parar; pra acordar, sem desejar.
Mas há também dias pra parar, raciocinar, 'faxinar' e decidir recomeçar...
Que seja hoje!".

[Lavínia Lins]


quinta-feira, 26 de julho de 2012


"Não dê ouvidos aos ventos que embaçam os seus sentimentos...
A viagem pode ser longa, mas o bem alcançado fará valer a pena".

[Lavínia Lins]


segunda-feira, 23 de julho de 2012



"Passei boa parte dos meus dias perguntando o porquê das coisas;
Descobri que, enquanto me questionava, deixei de investir tempo vivendo as respostas". 

[Lavínia Lins]

sábado, 21 de julho de 2012


"Entre o desejo e o alcance, apenas dois moradores: o esforço e a determinação". 

[Lavínia Lins]

quinta-feira, 19 de julho de 2012

"SORRISO-PÊSSEGO"



“Enquanto, lá fora, a chuva cai sem cessar,
Meu pensamento viaja ao seu encontro.
Já não são tão longas as milhas que nos separam;
Já não mais me doem os dias em que fiquei a esperar
Pelo seu sorriso que, de tão doce, tem sabor de fruta,
Daquelas tiradas do pé, feito os pêssegos que cultivo
Nas largas terras do meu refúgio".

[Lavínia Lins]

Ao som de "Kathy´s Song" - Simon & Garfunkel:  




terça-feira, 17 de julho de 2012

"CONFISSÕES"



I.

É por tanto te amar
Que te liberto, meu amor – 
E não mais as cruéis milhas
Nos farão sofrer e ansiar.
Perdoa-me se assim julgo,
Perdoa-me se me afasto
Para curar minhas feridas
Na cabana do Tempo Eterno,
Mas… o coração não suporta
O peso de mais uma chaga.
Nunca um amor me doeu tanto,
Nunca me dilacerou tanto assim…
Talvez nunca um outro tenha
Sido tão sólido e deslumbrante
Como aquele que trouxeste em ti.

Sejamos livres! E nossos sorrisos
Continuarão sempre paralelos,
Pelas curvas e rectas do caminho,
Até que o sol se ponha por sobre
Todos os que fincam seus passos
Na dócil areia dos anos fugidios.
Talvez em um outro qualquer lugar
Os ventos nos fossem favoráveis,
Mas nestes dias de denso negrume
Não há embarcação que resista – 
E que tal saibamos aceitar.

Ah… É por tanto te amar
Que te liberto, meu amor!
Estende estas veras palavras,
Cinzeladas pela dor que punge.
Não derrames qualquer lágrima – 
Delas não serei merecedor;
Não suspires sequer por mim – 
Não serei eu o teu eleito.
Já tanto nos amámos, em silêncio,
Já tanto partilhámos à sombra
Dos dias avidamente consumidos – 
E que isso, por ora, nos baste.

Hoje, nada para nós converge…
Desígnios dos Deuses? Não o sei…
Apenas que todo o porquê comporta
A sua infalível e justa causa.

É por tanto te amar
Que desejo erradicar esses soluços,
Essa angústia do impossível;
É por tanto te amar
Que te sopro pétalas como quem
Cala o impulso de um fervor;
É por tanto te amar
Que te liberto… meu amor. 

Pedro Belo Clara.

II.

Como dizer-te adeus, meu amor,
Se é teu o coração que pulsa aqui dentro?
Como julgar impossível o alcance do “nós”,
Se nossas almas insistem em atrair os nossos corpos?

Por que achas que me libertas ao deixar-me,
Se é nos teus braços que encontro abrigo,
Se é pela luz dos teus olhos que enxergo o meu caminho?

As dores que latejam nos nossos dias,
Nada mais são do que testes que 
Esta dura passagem nos impõe…
Já vencemos tantas batalhas,
Desafiamos tão bravos guerreiros…
Já transcendemos tantas existências.
Para quê nos deixarmos abater pelo medo?

A viagem pode até ser longa e cansativa,
Mas eu te mostrarei que há de valer a pena.
E este céu que, por ora, se mostra cinzento,
Ganhará as cores que só a pureza do nosso amor 
Poderá tingir…
Acredite!

Lavínia Lins.

segunda-feira, 16 de julho de 2012


"E quando não procurei,
Quando nem mesmo pensei,
Você...
O céu, outrora cinzento, colorido ficou;
As músicas, antes sem sentido, ganharam corpo;
Os sonhos, que enterrados estavam, ressurgiram, feito fênix.
Então, fecho os olhos, respiro fundo, e me entrego...
Sem medo.
Sem mais".

[Lavínia Lins]

Ao som de "Caça e caçador" - Fábio Jr.:


domingo, 15 de julho de 2012



"'Adoro' os sentimentos sem nome!
'Adoro', porque é o único nome inventado que se aproxima daquele de quem falo.
E que nenhum chegue perto de ser... 
Nunca!".

[Lavínia Lins]

sábado, 14 de julho de 2012

"AOS COVARDES"


"Certa feita, perguntaram-me qual o sentimento pelo qual eu nutria mais desprezo.
Já havia pensado diversas vezes a respeito e, a cada, mudava de opinião. Afinal, há tantas coisas lamentáveis no mundo que, se fosse elencar, precisaria de uma folha inteira.
Mas, hoje, especialmente hoje, tive a oportunidade de 'dar de cara' com uma atitude lamentável, a qual não sei se pode ser considerada a 'pior' de todas, mas, sem dúvidas, possui uma face, de veras, deprimente: a COVARDIA.
Explora-la-ei de forma genérica, para não causar polêmicas. Ainda assim, sei que, por si só, ela já causa seus tremores. 
Ao conhecer alguém, deve-se procurar observar seus detalhes - as boas pessoas tendem a refletir a sua bondade naquelas a quem dirigem as suas expectativas e, portanto, podem cometer falhas no julgamento antecipado -. Não que o mundo esteja descoberto de pessoas do bem - não é isso; não mesmo!-, mas, há também aqueles que, para serem 'aceitos', a fim de alcançar determinado objetivo, mostram-se dóceis, prestativos, e por aí vai.
Mas, ainda assim, é possível enxergar alguns traços da sua real personalidade: quando relatam experiências anteriores, tendem a pincelar suas características mais marcantes.
A covardia, em certos momentos, é erroneamente confundida com 'medo', 'insegurança', 'inexperiência'...
Ora, amigos... são, estes, tão diferentes. 
Quando comparados à covardia, deviam até ser classificados como antônimos.
Covardes, por se omitirem; covardes, por mentirem; covardes, por usarem discursos fantasiosos; covardes, por não olharem nos olhos; covardes, por serem covardes.
Triste, lastimável, desprezível.
Aplausos! Uma salva deles, com intensidade, aos covardes. 
Não pelo mérito, já que não há qualquer. Pelo seu intenso oposto. Para que, quem sabe, o efeito constrangedor deste os leve a repensar seus atos/omissões. 
Que a vida lhes ensine a, ao menos, entender o porquê das lições;
Que aprendam a assumir suas culpas e fraquezas, sem medo do julgamento.
Pois, quem age com sinceridade e transparência, não merece o repúdio por sê-lo;
Ao contrário, faz jus à nossa atitude de 'tirar o chapéu'...".

[Lavínia Lins]


"A curva que hoje você lamenta fazer pode ser uma providência pra lhe colocar na estrada certa". 

[Lavínia Lins]

quarta-feira, 11 de julho de 2012

"O DIA É HOJE!"


"E, de repente, uma voz me soprou ao ouvido: 'o dia é hoje!'.
Pensei... pensei... pensei...
Descobri que aquela voz estava certa.
Hoje é o dia pra dar aquele abraço, 
Pra pedir desculpas pela falha cometida,
Pra falar do sentimento bom que, guardado, não causa qualquer efeito;
Ou, quem sabe, pra olhar-se no espelho e, simplesmente, sorrir pra si mesmo.
Por que não?!
Quantas vezes não se precisa apenas de um sorriso pra começar bem o dia?
Comece-o, sorrindo pra você mesmo...
O dia é hoje!". 

[Lavínia Lins]

terça-feira, 10 de julho de 2012

"DESEJO"



"Em noite de redentor silêncio,
Escutando o vibrar do Infinito,
Perscruto as estrelas que cintilam
Por entre as luzes de mil sonhos.

Cerro os olhos e me transporto,
Sentindo cada suspiro da brisa;
Deambulo por milhas de distância, 
Cruzando a imensidão do oceano.

No horizonte, um firme farol
Denuncia o meu porto de abrigo,
Adornado pelas cores do arco-íris
Nas rimas de um poema sussurrado.

Então, num impacto encandeante,
Descubro esse sorriso que me chama –
Eis, por fim, num inominável ensejo,
A doce candura de teus braços".

[Lavínia Lins & Pedro Belo Clara]

segunda-feira, 9 de julho de 2012

sábado, 7 de julho de 2012



"Arranque, pela raiz, o que for devido.
E plante, com boas sementes, o que for necessário".

[Lavínia Lins] 

quinta-feira, 5 de julho de 2012



"Fim da estação, mudança nas vestes.
Fim da reflexão, mudança nas atitudes".

[Lavínia Lins]

quarta-feira, 4 de julho de 2012


"O meu maior desafio é convencer a mim mesma, todos os dias, de que as batalhas são o meu passaporte para a vitória". 

[Lavínia Lins]

terça-feira, 3 de julho de 2012


"Não espero que as pessoas corrijam os seus defeitos; simplesmente, mudo o ângulo de visão pelo qual as enxergo".

[Lavínia Lins]

segunda-feira, 2 de julho de 2012


"Há quem viva nadando em vícios,
Trocando dores por outras mais fortes;
Há quem se sinta vivo por sentir medo,
Sangrando angústias sem limite;
Há quem mergulhe na solidão, por temer o amor;
Por não se achar apto a vivê-lo e, dele, tirar bons frutos.
A estes, o meu abraço mais caloroso.
A estes, o meu desejo de renovação.
A estes, a minha oração...".

[Lavínia Lins]